Mamoplastia de aumento – Como evitar as assimetrias mamárias após a cirurgia? - Mamoplastia de Aumento

Mamoplastia de aumento – Como evitar as assimetrias mamárias após a cirurgia?

Como evitar assimetrias mamarias depois de uma mamoplastia de aumento

A mamoplastia de aumento é uma das cirurgias mais procuradas dada a sua baixa complexidade, facilidade de obtenção de resultados desejados e com um índice de riscos/complicações reduzido. Contudo, como em qualquer outro procedimento cirúrgico existem sempre possíveis complicações.

Uma das complicações que pode ocorrer após a realização de um aumento mamário é a assimetria mamária. No entanto, a assimetria mamária pode ser evitada se forem considerados previamente alguns fatores tais como o tamanho e o local de incisão que são determinados de acordo com as características da paciente.

Durante a consulta médica, poderá conversar sobre os objetivos que pretende atingir. A cirurgiã irá aconselhar a melhor solução, tendo em conta que deverá existir um balanço entre os objetivos pretendidos e aquilo que é realista para cada caso específico salvaguardando sempre a saúde da paciente.

O tamanho da prótese mamária
O tamanho ideal de prótese é aquele que proporciona à mulher harmonia corporal, tendo em conta a altura, peso e largura do tórax. No entanto, existem mulheres que pretendem um tamanho de implante demasiado grande para a sua estrutura corporal. Quando o tamanho do implante é demasiado grande para a estrutura da mulher, poderá colocar em causa a capacidade dos tecidos apoiarem o implante. Quando não existe uma boa sustentação do implante, pode ocorrer um deslocamento do mesmo e originar uma assimetria mamária uma vez que a pele não consegue dar o devido suporte.

De modo a evitar a ocorrência de assimetrias mamárias, a escolha do tamanho do implante é de extrema importância. Esta deverá ser feita de acordo com as características corporais de cada paciente, nomeadamente as medidas do tórax. A escolha deverá ir ao encontro dos desejos da paciente garantindo no entanto, o sucesso da cirurgia.

Local de incisão
O local da incisão é outro dos fatores que pode influenciar a futura existência de assimetria mamária. Para a maioria das pacientes, o tamanho da incisão é uma das principais preocupações. No entanto, é dever da cirurgiã aconselhar qual será a incisão mais adequada para cada caso em específico de forma a atingir melhores resultados.

A incisão inframamária é a que permite uma maior visualização das estruturas e como tal, torna-se mais segura e permite melhores resultados no que diz respeito à simetria mamária. Esta incisão permite um acesso direto à área da dobra e os anexos inferiores do músculo peitoral maior que influenciam a posição final do implante.

Existem outro tipo de incisões que apesar de serem igualmente funcionais, têm maiores riscos de posicionamento do implante, devido à falta de visibilidade desta área.

Cuidados no período pós-operatório
Os cuidados a ter após uma mamoplastia de aumento também são determinantes para evitar possíveis assimetrias mamárias. Seguir todas as indicações médicas no período pós-operatório vai permitir reduzir o risco de complicações e favorecer uma boa e mais rápida recuperação.

Para que exista uma boa recuperação e sejam alcançados os objetivos desejados, é recomendado o uso do soutien cirúrgico, que é utilizado para que exista uma boa sustentação dos implantes mamários. Este soutien deve ser utilizado por um período de 30 dias quer seja de dia quer de noite. A utilização do soutien vai permitir aliviar o peso extra ao qual a paciente não está habituada e vai também ajudar a manter o peito imóvel. Vai permitir que a recuperação de cada mama se dê de forma simultânea evitando possíveis assimetrias.

Recomenda-se também que sejam feitas drenagens linfáticas que poderá iniciar ao fim do 2º ou 3º dia após a cirurgia. As drenagens linfáticas são essenciais para ajudar a reduzir o inchaço e algum desconforto inerentes ao aumento mamário.

Quando a mamoplastia de aumento é realizada para correção de assimetrias mamárias, o objetivo é promover o equilíbrio, tornando o peito o mais harmonioso e simétrico possível. Contudo, apesar de se corrigir a assimetria e a óbvia perceção da mesma, nem sempre é possível obter uma simetria total dos seios. Existe a possibilidade que após a cirurgia continue a existir uma ligeira assimetria ainda que pequena ou quase impercetível.

Ligar agora
Marcações